“Dreams come true”, esse talvez seja um dos slogans mais famosos do mundo e com certeza é o meu favorito. Entrar no Magic Kingdom, ouvir a música, ver o castelo, os brinquedos, os fogos e ver o encantamento no olhar de todos ao redor, já te faz perceber que você está em um lugar, e principalmente em um momento, diferente e especial.

Há três anos, a Fábrica de Criatividade fez em uma reunião de planejamento estratégico, uma “Wishlist” de cinco empresas globais que, por alinhamentos de propósitos, visibilidade e história gostaríamos muito que fossem nossos clientes um dia. Nesta lista estavam a Nike, a Coca-Cola e a Disney.

Neste ano de 2020, mesmo em meio a uma pandemia sem precedente/es na nossa geração, nossa empresa cresceu 75% em relação ao mesmo período do ano passado. E o mais legal, é que conseguimos a conta de processos criativos dessas três grandes empresas. 

Há algumas semanas finalizamos as primeiras entregas de produtos pra Disney, um deles foi um workshop. E, não resisti! Fiquei no zoom, tocando piano antes de começarmos o evento, toquei as trilhas dos filmes que de tanto escutar na minha vida, já sabia de cor. 

Lembro de uma vez, na fila de uma montanha russa em Orlando, eu estava com um grupo de amigos e naquele momento fizemos uma enquete: “Se você ganhasse R$50 mil por mês pra fazer o que quisesse, o que escolheria?”.

Uma amiga advogada disse, “seria testadora de colchão”. Outro amigo, que é CFO de uma grande empresa disse, “área de atendimento ao cliente, de uma loja da Apple”. Minha esposa disse, “apresentadora de um programa de tv”. E eu, realmente fiquei pensando, e minha resposta sincera foi “o que eu faço”.

Senti um sentimento de gratidão imenso e um mix de responsabilidade, felicidade e privilégio nesta resposta. 

Em 2014 li um artigo de um dos pensadores que eu mais admiro, Stephen Kanitz (https://blog.kanitz.com.br/fazer-gosta/), “Se algo vale a pena ser feito na vida, vale a pena ser bem feito. Viva com esse objetivo. Você poderá não ficar rico, mas será feliz. Provavelmente, nada lhe faltará, porque se paga melhor àqueles que fazem o trabalho bem feito do que àqueles que fazem o mínimo necessário”. Desde então, essa tentativa de fazer o melhor possível, o tal do “fator uau” que falamos na Fábrica, passou a ser uma questão de planejamento, uma missão de vida para todos nós aqui.

“A whole new world” (um mundo totalmente novo), cheio de planos, oportunidades, trabalho duro e porque não, magia, é a minha “wishlist” atual. Para esse mundo tão cinza, voltar a acreditar, igual aquela criança que viu os fogos no castelo a primeira vez que, “Dreams Come True”.

Por Denilson Shikako